Rolim de Moura - RO, Terça-Feira, 25 de Junho de 2019

Coluna Porta Aberta - Por Fernando Garcia

A Coluna Porta Aberta é publicada semanalmente no Jornal Folha da Mata.

Fonte: Fernando Garcia - Em Geral - 12/01/2019 02:43:00 hrs

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Coluna Porta Aberta - Por Fernando Garcia

Falta de combate rigoroso

Todos os anos o que lemos e escutamos das autoridades brasileira, responsáveis em dizer que o INSS está quebrado, já virou uma rotina corriqueira de tanta verbalização. Jogando a culpa sempre em cima dos trabalhadores e não nos desviadores dos recursos, as autoridades manipulam de sua forma, todas as intempéries para apertar o cerco apontando os riscos do instituto, porém, tirando proveitos e empurrando longevidade no lombo do trabalhador.

 

Conivências internas

Infelizmente essas mesmas autoridades quase nada fazem para combater as fraudes, que sem combate rigoroso jorra uma dinheirama nos bolsos dos gananciosos, muitas vezes contando com a colaboração de quem deveria evitar o rombo de Milhões de Reais. Ao que tudo indica, parece mesmo uma prática costumeira, pois, desde a época do escândalo Georgina, até os dias de hoje, o INSS, continua um órgão frouxo no combate a fraudes e, sempre detectando depois de ter sido roubado por quadrilhas que gozam de conivências internas.

 

Padecendo nas filas

Enquanto o INSS não adequa os mecanismos para evitar fraudes, o que se observa são milhares de pais e mães, de posse de laudos médicos, na busca incessante do amparo a que tem direito, sendo negado de forma contínua pelos Peritos. Uma fonte muito importante, chegou a me falar categoricamente, que os peritos recebem uma gratificação por produtividade, em que de cada dez avaliados, a ordem é não ultrapassar o benefício a mais de três pessoas avaliadas.

  

Grupo acalorado e atuante

A vida de agentes públicos não está sendo fácil, principalmente nas redes sociais, onde as discussões correm de forma soltas, aceleradas e acaloradas. Em Rolim de Moura, existe um dos mais conhecidos e atuante grupo de redes sociais pelo WATSAP, grupo Eleições Rondônia, que mesmo tendo encerrado as eleições em outubro passado, o Grupo não para de interagir, principalmente por ser uma cidade bastante politizada e também cheio de encrencas políticas que vira um zum zum zum.

 

Vai entender as opiniões!

Mesmo as discussões em sua maioria sendo Rolim de Moura, o Grupo Eleições Rondônia, está focado em todo Estado e, a capital Porto Velho, também faz parte do seu cardápio político. As chuvas que caíram torrenciais em Porto Velho e em Cacoal, provocando estragos estrondosos por falta de infraestrutura, está aliviando bastante os comentários voltados ao prefeito Luizão do Trento. Até um dos críticos cético à administração do prefeito Luizão do Trento, admitiu que a cidade de Cacoal, administrada por Glaucione Rodrigues, está pior que Rolim de Moura, e um dos internautas que mora em Cacoal, chega a pedir uma troca igual time de futebol, que insatisfeito quer mandar Glaucione para Rolim de Moura e quer Luizão para Cacoal.

 

Não quis correr riscos

Todos sabem que o ex-governador Daniel Pereira, não assumiu o Governo às mil maravilhas, apesar de não ter questionado as evidências, afinal, estaria assumindo o cargo de maior autoridade do Estado, ainda que fosse por alguns meses. Muito bem antes das eleições de outubro, já estava escrito que o maquinário do DER, não iria roncar nos quatros cantos do Estado, posto, que o próprio Daniel Pereira, sabia de como estava e evidentemente, não iria se arriscar em abastecer o maquinário a contento, para se comprometer no final do mandato, que por sinal seu período foi muito curto. Não temos dúvida que o coronel Rocha Matos, vai encontrar muitas dificuldades pela frente, mesmo com a estrutura do DER.

 

Visões raquíticas

Se o Estado e Municípios   trabalhassem com ações conjuntas, para instalarem energia solar em seus respectivos órgãos da administração, evidentemente pagariam suas despesas em quatro anos, daí para frente, cerca de uns vinte anos, economizariam o bastante para deixar várias administrações enxutas neste quesito. Mas a falta de vontade política e conhecimento de gestão avançada, fazem com que os gestores não vislumbrem com esse salto de inovação, trabalhando apenas nas metas ultrapassadas que é gerar sempre despesas, quando poderiam elimina-las.

 

Vamos confiar e aguardar

Observei atentamente nos últimos dias, o prefeito Luizão do Trento, anunciando que vai melhorar a saúde, inclusive adiantando que não iria pensar em carnaval, o que realmente está correto sua atitude. Todavia, é importante saber quais são seus verdadeiros planos para com a saúde de Rolim de Moura, uma vez que sabemos que não temos saneamento básico, sem informatização, Upa sem funcionar, Lixo por recolher, Postos de Saúde e o hospital funcionando de forma tímida, em pleno centro da cidade muitos igarapés sem canalizações, fontes propícias para os transmissores de doenças como a Dengue e outros vetores, qual a forma e a fonte para começar?

 

Provável candidato

Menos de 20 meses para as eleições municipais se concretizarem, alguns institutos de pesquisas já dão amostra do cenário e, apontam os principais nomes que se destacam em suas localidades. Em Castanheiras, 60 quilômetros distante da capital da Zona da Mata, o nome do professor e bacharel em Direito, Deusdete, foi ventilado como uma das principais lideranças do município, podendo ser virtual candidato a prefeito daquela cidade. Professor Deusdete, goza de um bom conceito perante a comunidade, onde já foi vereador por dois mandatos consecutivos e presidente da Câmara de Vereadores, além de ter ocupado outros cargos relevantes, como secretário de Saúde e outros.

 

Muito distante

As nomeações feitas pelo governador Rocha Matos, estão passando muito longe de Rolim de Moura. Se em governos anteriores tivemos uma enxurrada de secretários estaduais e, não tivemos boa serventia, imagine como vai ficar a coisa doravante, talvez sejamos contemplados com um cargo de segundo escalão o que nada acrescentará, mas, tão somente para compensar a parceria feita em campanha eleitoral.

 

Sem secretários

No governo anterior no decorrer de 8 anos, também não tivemos realmente um secretário e, sim, aquela espécie de cargo que se diz correlato a secretário de Estado, foi o caso do professor Rodnei Paes, Sejucel, que ficou entre idas e voltas, e a técnica da Emater, Albertina Marangoni, que ficou menos de um ano na pasta, entretanto, nem uma obra de vulto surgiu em Rolim de Moura, nesse período em que ambos se fizeram presentes em suas pastas.

 

Tem que ser compeensíveis

Tem hospital particular em Rolim de Moura, que precisa cumprir as exigências determinadas pelo Estatuto do Idoso, de que o Idoso goza de prerrogativas no atendimento. O não cumprimento infringe a Lei 10.741. de 01 de Outubro de 2003, que em seu artigo 30 Parágrafo Único diz: O atendimento preferencial, imediato e individualizado junto ao órgão público e privado prestadores de serviços à população. Não é justo que pessoas idosas, principalmente com 80 anos, fiquem aguardando mais de 4 horas para serem atendidas, até porquê, nessa faixa etária elas possuem a supremacia no atendimento, conforme Lei.

COMENTE
COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu. A DIREÇÃO
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Mais Notícias da Categoria: Geral

TV TRIBUNA TOP

Carregando...