Rolim de Moura - RO, Domingo, 20 de Junho de 2021 - 00:00

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

Fonte: G1 - Em Política - 07/01/2021 09:06:00 hrs

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA
Reprodução/G1

Um grupo de apoiadores do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, invadiu na última quarta-feira (6) o Capitólio, sede do Congresso americano em Washington, durante a contagem oficial dos votos do Colégio Eleitoral definidos nas eleições presidenciais de novembro. Os invasores queriam impedir a confirmação da vitória de Joe Biden.

Momentos antes da sessão no Congresso, Trump disse a uma multidão de apoiadores em Washington que não aceitaria a derrota nas eleições presidenciais de novembro. Ele incitou as pessoas a caminharem em direção ao Capitólio, dizendo que iria acompanhá-las – no entanto, não foi visto na marcha.

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

Parlamentares e jornalistas que estavam no Congresso relataram tiros dentro do prédio. Segundo a polícia de Washington, quatro pessoas morreram durante a invasão. A sessão para certificar a vitória de Biden foi retomada durante a noite de quarta.

Momentos antes da sessão no Congresso que iria certificar a vitória de Joe Biden, Trump disse a uma multidão em Washington que não aceitaria a derrota.

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

"Eu estarei com vocês. Vamos andar até o Capitólio e felicitar nossos bravos senadores e congressistas", disse no discurso no Ellipse, parque perto da Casa Branca. Ele, porém, não foi visto na marcha. "Nós vamos parar com o roubo [das eleições]", insistiu ele.

Trump também voltou a pressionar o vice-presidente, Mike Pence, que presidiria a sessão no Congresso, para que não certificasse a vitória de Biden — essa ação não encontra fundamento constitucional. "Espero que Mike faça a coisa certa. Se ele fizer, venceremos a eleição", declarou Trump.

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

No entanto, Pence e também o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, rejeitaram mudar o resultado das eleições presidenciais.

Parlamentares podem contestar o resultado dos estados e levar a rejeição dos votos aos plenários. Mas a tentativa de reversão do resultado era bastante improvável, porque os democratas são majoritários na Câmara, e a tentativa de mudar o resultado da eleição encontrou resistência até entre senadores e deputados republicanos.

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

Em comunicado, Pence afirmou que não tem poder para mudar o resultado e admitiu que tinha papel apenas "cerimonial" na sessão.

"Meu juramento em defender e apoiar a Constituição me impede de proclamar uma autoridade unilateral para determinar quais votos devem ser contados e quais não devem ser", afirmou o vice-presidente dos EUA.

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

Entretanto, em um aceno à base trumpista, o vice-presidente disse que houve "significantes alegações de irregularidades" e afirmou que acataria a decisão dos parlamentares em votar as objeções, quando são apresentados questionamentos sobre os resultados nos estados.

Após a declaração de Pence, Trump criticou seu vice e escreveu em rede social que Mike Pence "não teve coragem de fazer o que era necessário para proteger" o país e a Constituição.

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

A sessão conjunta no Congresso dos EUA para certificar a vitória do presidente eleito é, costumeiramente, uma formalidade na qual os votos do Colégio Eleitoral são apenas contados pelo vice-presidente diante dos parlamentares das duas casas.

A invasão do local pelos apoiadores de Trump ocorreu justamente enquanto Câmara e Senado debatiam se acatavam ou não uma objeção aos resultados do Arizona — tradicional reduto republicano vencido por Biden na eleição de novembro.

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

Senadores e deputados foram retirados do local da sessão e levados a uma área segura do prédio. Mike Pence, que presidia a sessão, foi retirado do Capitólio. Houve vandalismo, uma porta de vidro foi quebrada e gás lacrimogêneo foi disparado pela polícia. Guardas ficaram feridos.

A prefeita de Washington decretou toque de recolher na capital americana. Militares da Guarda Nacional foram acionados para reforçar a segurança do Capitólio. De acordo com o Pentágono, seriam cerca de 1,1 mil soldados enviados a Washington.

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

Em um pronunciamento, o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que os acontecimentos desta quarta "não refletem a verdadeira América e não representam quem nós somos". Ele pediu a Trump que fosse à TV e ordenasse que os invasores saíssem do Capitólio.

Horas depois, Trump pediu que os extremistas deixassem o local, mas voltou a dizer que a eleição foi "roubada" e "fraudulenta", mesmo sem apresentar provas. "Vocês precisam ir para casa", declarou em um vídeo divulgado em redes sociais. O discurso foi publicado no Facebook e no YouTube, que decidiram depois tirá-lo do ar porque violava suas regras.

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

Mais tarde, o Twitter anunciou que a conta de Donald Trump na rede social seria bloqueada por 12 horas. O prazo começaria a correr assim que fossem deletados três posts suspensos pela rede social nesta quarta. As publicações já não podiam ser vistas pelos usuários, mas precisavam ser removidas pelo dono do perfil.

Durante a madrugada de hoje (07), a situação começou a voltar ao normal. O Congresso americano, então, confirmou a vitória de Biden na eleição, e o presidente eleito tomará posse em 20 de janeiro. Pence ratificou a contagem dos votos no Colégio Eleitoral e encerrou a sessão às 5h44 (horário de Brasília).

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

“O anúncio do estado da votação pelo presidente do Senado será considerado uma declaração suficiente para as pessoas eleitas presidente e vice-presidente dos Estados Unidos para o mandato que começa no dia 20 de janeiro de 2021 e será inscrito junto à lista de votos nos jornais do Senado e da Câmara dos Representantes", afirmou Pence após a contagem dos votos do Colégio Eleitoral.

Após o Congresso americano ratificar a vitória de Biden, Trump afirmou que "haverá uma transição ordeira em 20 de janeiro".

Apoiadores de Trump invadem Congresso nos EUA

"Embora isso represente o fim do maior primeiro mandato da história presidencial, é apenas o começo de nossa luta para tornar a América grande de novo", afirmou Trump ao reconhecer a derrota para Biden.
 
"Mesmo que eu discorde totalmente do resultado da eleição, e os fatos me confirmem, haverá uma transição ordenada em 20 de janeiro"", afirmou o presidente dos EUA.
 

Operação conjunta da PC, PM e PRF prende irmão da prefeita afastada de Cacoal e apreende cerca de 150 Kg de drogas

COMENTE
COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu. A DIREÇÃO
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Mais Notícias da Categoria: Política

TV TRIBUNA TOP

Carregando...