Rolim de Moura - RO, Terça-Feira, 31 de Março de 2020

É falso que início do surto de H1N1 foi mais mortal que o coronavírus

Circula na internet uma mensagem que diz que a pandemia do H1N1 foi mais letal que a atual do cornavírus. A mensagem é FALSA!

Fonte: G1, Estadão, Uol, Aos Fatos - Em Geral - 24/03/2020 09:54:00 hrs

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
É falso que início do surto de H1N1 foi mais mortal que o coronavírus
Reprodução

Circula na internet uma mensagem que diz que a pandemia do H1N1 foi mais letal que a atual do cornavírus. A mensagem é FALSA!

O surto de H1N1 chegou ao Brasil em 2009, durante o governo Lula. Na mensagem difundida nas redes sociais, diz que o número de casos de H1N1 chegou a 58 mil e o número de mortes a 2.100, enquanto os números do coronavírus, são de 394 casos e 2 mortes.

No entanto, os números enganam ao comparar o número de casos nas primeiras semanas da Covid-19 com o acumulado de oito meses da gripe suína. No primeiro mês da chegada de coronavírus, os casos confirmados chegou a 2.201, com 46 mortes. No primeiro mês do H1N1, foram infectadas 627 pessoas e matou uma.

No mundo, a pandemia de H1N1 fez 18.449 vítimas em 18 meses (entre 2009 e 2010), e teve 651 mil casos confirmamdos, enquanto o coronavírus já fez 15.430 vítimas em três meses, tendo mais de 417 mil casos confirmados.

O presidente Bolsonaro tem comparado as pandemias dos dois vírus para defender que há um exagero em relação à reação ao novo coronavírus. À RecordTV, na noite de domingo, ele afirmou que "O número de pessoas que morreram de H1N1 no ano passado foi da ordem de 800 pessoas. A previsão é de que não chegará nesta quantidade de óbitos no coronavírus. Tem certos números que têm que ser levados em conta".

Bolsonaro se referia ao número de mortos pelo H1N1 em 2019 que, de fato, foi de 796 casos. Durante a pandemia, em 2009, foram registrados 2.060 óbitos pelo vírus Influenza no Brasil e cerca de 100 mortes em 2010, quando o país já distribuíra vacina à população. Isso foi durante o período de dois anos. Mas a comparação mostra que o coronavírus tem gerado mais mortes em períodos curtos. 

"Tem alguns elementos que ajudam [o coronavírus a ser mais letal]. A gente conhece [a H1N1] há mais tempo. Já havia antivirais — Tamiflu e Relenza — para Influenza. Já havia uma unidade residual de imunidade para quem fora submetido à gripe. Por isso, a menor letalidade dos casos de H1N1. Quando existe uma população vacinada regularmente para Influenza, tem algum efeito também, porque há uma semelhança ao vírus que já corria. O quadro tende a ser mais brando por tudo isso", afirmou o infectologista Edmilson Migowski, professor em doenças infecciosas na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Para ele, o potencial de transmissão entre os dois vírus é semelhante. Mas lembrou que o Brasil, por exemplo, passou a ter vacina contra H1N1 já em 2010, o que reduziu o efeito da pandemia naquele ano. Por enquanto, não há nem antivirais, nem vacina de ação comprovada contra o novo coronavírus, embora sejam realizados testes com diversas substâncias.

(CLIQUE AQUI) e participe do grupo do TRIBUNA TOP no WhatsApp e fique sempre muito bem informado.

OBS: Somente os administradores poderão postar conteúdos.

COMENTE
COMUNICADO: Atenção caros internautas: recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem, como já ocorreu. A DIREÇÃO
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Mais Notícias da Categoria: Geral

TV TRIBUNA TOP

Carregando...